PR tem 200 indígenas nas universidades públicas

Cotidiano

19 de abril de 2017 18:17

Da Redação

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Polícia prende homem flagrado em vídeos agredindo a mãe no MA

PR registra mais um recorde de doações de órgãos

Batidas de veículos em postes causam 16 desligamentos por dia no PR

Policiais matam cavalos às margens de BR em Goiás
Feridos em tragédia na BR-277 ganham alta do hospital
Mulher de policial morre em tiroteio no Paraná
IML identifica vítimas de tragédia na BR-277
/Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

As universidades públicas do Paraná têm neste ano 200 os estudantes indígenas. Em 2016, sete indígenas concluíram o ensino superior, entre eles advogado, pedagogo e médica. O Dia do Índio, 19 de abril, festeja as origens culturais do Brasil. O Vestibular Indígena, ofertado pelas sete universidades estaduais e a Universidade Federal do Paraná, é uma forma de valorizar essa cultura. Ser protagonista da própria história, com mais oportunidades e melhores condições de vida, é o sonho de muitos jovens indígenas que ingressam na universidade. Jefferson Gabriel Domingues, da etnia Guarani, é um destes jovens. Ele conseguiu a formação acadêmica e realização profissional e hoje é professor e diretor da Escola Estadual Indígena Yvy Porã, na Terra Indígena Pinhalzinho em Tomazina (Norte), onde nasceu. “Com o ensino superior os índios passam a ganhar mais espaço na sociedade, participar de forma efetiva nas áreas onde atuam, com formação profissional,” ressalta Jefferson Gabriel, que se formou em História, em 2010, pela Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP).

Mais condições

A Comissão Universidade para Índios (Cuia), formada por representantes das universidades públicas, é que organiza o vestibular. Wagner Amaral, presidente da Cuia, destaca que a formação acadêmica contribui para que os jovens tenham melhores condições de vida. “A presença deles nas universidades aumenta a perspectiva da formação de profissionais que conhecem a realidade de suas comunidades e de seus povos, levando maior qualidade nos serviços de saúde, educação, gestão dos territórios, gestão de políticas e projetos sociais”, diz ele. Nas universidades públicas são ofertadas 52 vagas para os indígenas: seis em cada uma das sete universidades estaduais e 10 vagas na Universidade Federal do Paraná. Segundo o presidente da Cuia, o vestibular está ganhando cada vez mais atenção e importância nas tribos. “A primeira edição, em 2002, contou com 54 candidatos para 15 vagas. A mais recente edição teve 753 inscritos para 42 vagas. Isso ocorre devido ao significativo crescimento demográfico nas terras indígenas e expansão da oferta de ensino fundamental e ensino médio nas aldeias”. 

PUBLICIDADE
COMENTÁRIOS
AVISO: O portal aRede não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site.
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização