Professores do PR entram em greve dia 15 de março

Cotidiano

11 de fevereiro de 2017 14:27

Rodrigo de Souza

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Temer diz na Argentina que a população entenderá aumento do PIS/Cofins

Avião faz pouso forçado em cidade do interior do PR

Mega-Sena de R$ 78 mi faz apostador sonhar acordado

Júri condena pais por assassinato da filha de quatro anos
Ônibus tomba após bater contra carro do Uber na CIC
Morador leva tiro ao reagir assalto na frente de casa
População entenderá aumento de imposto, diz Temer
/Foto: Reprodução/Facebook
PUBLICIDADE

Assembleia realizada em Maringá (PR) seguiu a recomendação de movimentos nacionais e optou por greve geral. Aulas na rede estadual recomeçam normalmente em 15 de fevereiro.

Os professores da rede estadual de Ensino optaram por uma greve geral da categoria a partir do dia 15 de fevereiro. A decisão foi tomada durante uma assembleia realizada pela APP-Sindicato em Maringá (PR) com representantes de todo o Paraná durante a manhã deste sábado (11). Sendo assim, as aulas, que começam na próxima quarta-feira (15), devem seguir por cerca de um mês até ser interrompida pela greve. A decisão vale para todo o Estado.

A proposta de paralisação geral a partir de 15 de março foi escolhida em meio à outras citadas. Entre elas estava a greve já no dia 15 de fevereiro e a interrupção de trabalhos no dia 22 de fevereiro – as duas foram derrotadas em assembleia.

De acordo com a APP-Sindicato, cerca de 3 mil professores participaram da decisão. A categoria reclama de uma série de medidas tomadas pelo governo do Estado, como a redução da hora-atividade, o sistema de distribuição de aulas e o atraso para o pagamento do reajuste salarial.

Em nota, o governo do Paraná lamentou a decisão e afirmou que, caso haja paralisação, irá descontar dos salários dos professores que optarem pela greve. Segundo o comunicado, a decisão “prejudica mais de um milhão de alunos da rede pública estadual e suas famílias. As últimas paralisações deixaram prejuízos próximos a cem milhões de reais, em contratações de temporários para reposição, merenda estragada e transporte escolar fora do período letivo tradicional”.

A escolha do dia 15 de março para o início da greve está baseada em um direcionamento da  Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), que decidiu a data para iniciar uma greve geral da categoria. Dentre as reivindicações está a posição contrária à Reforma Previdenciária.

PUBLICIDADE
COMENTÁRIOS
AVISO: O portal aRede não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site.
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização