Campanha busca libertar pai que matou estuprador da filha

Cotidiano

10 de janeiro de 2017 18:15

Dhiego Tchmolo

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Pauliki cobra isenção para motos em praças de pedágio

Homem é preso ao ser flagrado ‘aprontando’ no Cemitério Municipal

PEC do Foro Privilegiado aguarda votação no Senado

Batidas em postes causam 16 desligamentos por dia no PR
Sisu abre inscrições para o segundo semestre
Médico socorrista morre em acidente de trânsito em Curitiba
Homem morre carbonizado em incêndio em residência
/Foto: Reprodução
PUBLICIDADE

Jay Maynor assassinou criminoso que abusava sexualmente da filha quando ela era uma criança.

Uma campanha online no site Charge.org já teve a adesão de 11 mil pessoas para a libertação do americano Jay Maynor, de 43 anos, que foi sentenciado a 40 anos de prisão após matar o estuprador da sua filha. Segundo informações do O Globo, o homem que cometia os estupros teria abusado da filha de Jay quando ela ainda era uma criança. O pedido é que o presidente dos EUA, Barack Obama, e o governador do Alabama intervenham no caso.

O homicídio ocorreu em 2014 quando o pai assassinou Raymond Earl Brooks, de 59 anos, a tiros. Ele era avô adotivo da vítima que hoje está com 24 anos e tem três filhos. Brooks, em 2002, foi sentenciado por cinco anos de prisão pelo estupro.

Jay teria assassinado o estuprador pois, relatam os familiares, a ida aos julgamentos era traumática para a vítima do estupro. “Basicamente, ele tomou essa decisão para que eu não tivesse que viver novamente o assédio e também ficar na frente de várias pessoas falando sobre isso e trazendo de volta memórias do abuso”, contou a filha, na época da sentença de Jay.

Com informações de O Globo.

PUBLICIDADE
COMENTÁRIOS
AVISO: O portal aRede não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site.
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização