Região representa 9,15% do faturamento agrícola do PR | A Rede - Aconteceu. Tá na aRede!
Região representa 9,15% do faturamento agrícola do PR

Agronegócio

26 de setembro de 2017 19:06

Da Redação

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Médicos investem R$ 1 mi para criar plataforma de educação EAD

Richa e Temer inauguram frigorífico de R$ 110 mi

Paraná cria 28,6 mil empregos até setembro

Embaixador alemão visita a Cooperativa Witmarsum
Evento em Palmeira reúne 60 cooperativistas da região
Com novo frigorífico, PR deverá se tornar líder em carne suína
Dia de Campo mostra como elevar a produtividade do trigo
/Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Estado fecha 2016 com VBP de R$ 88,83 bilhões. Regional de Ponta Grossa totaliza R$ 8,13 bilhões em valor de produção agropecuário.

Dados do Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento, colocam a região dos Campos Gerais como um dos mais importantes centros agropecuários do Paraná. De acordo com o departamento, o Valor Bruto da Produção (VBP) Agropecuária do Estado fechou o ano de 2016 em R$ 88,83 bilhões. A regional de Ponta Grossa, que abrange os 18 municípios da região, totalizou R$ 8,13 bilhões, correspondendo a 9,15% do valor paranaense.

O montante estadual apresentou um crescimento real de 1,7% em relação ao ano anterior (2015), quando o valor alcançado foi de R$ 87,38 bilhões. O VBP agropecuário é o faturamento bruto da produção no Estado e compõe a cesta de índices que são utilizados para calcular os repasses do Governo ao Fundo de Participação dos Municípios, referente ao ICMS do próximo ano.

O município com maior participação dos Campos Gerais é Castro, com faturamento de quase R$ 1,6 bilhão em 2016 – a cidade ainda figura na 3ª posição do Estado no quesito, atrás apenas de Toledo (1º), com um faturamento bruto de R$ 2,2 bilhões, e Cascavel (2º), com R$ 1,7 bilhão. Castro se destaca pela produção e cadeia leiteira municipal, destacando-se como maior produtor do Estado, com um volume de produção de 255 milhões de litros em 2016.

Ainda nos Campos Gerais localiza-se o município que mais produz soja no Estado, que é o de Tibagi, com um volume de 395 mil toneladas. O grão garantiu a cidade na 2ª posição regional, com faturamento total de R$ 974 milhões. Na sequência aparecem Carambeí (R$ 663 mi); Palmeira (R$ 638,5 mi); Piraí do Sul (R$ 588 mi); Arapoti (R$ 577 mi); Ponta Grossa (R$ 547 mi); Ortigueira (R$ 380 mi); Reserva (R$ 362,5 mi); Ipiranga (R$ 304.5 mi); Jaguariaíva (R$ 285,2 mi); São João do Triunfo (R$ 275 mi); Sengés (R$ 225,7 mi); Ivaí (R$ 213 mi); Ventania (R$ 205,7 mi); Telêmaco Borba (R$ 179,5 mi); Porto Amazonas (R$ 90,3 mi) e Imbaú (R$ 45,4 mi).

Secretário ressalta valores

Para o secretário estadual da Agricultura, Norberto Ortigara, apesar de 2016 ter sido um ano difícil para a economia e com clima adverso durante o desenvolvimento das lavouras, o resultado comprova que o setor agropecuário paranaense ainda apresentou um resultado positivo. “Houve um crescimento real, motivado pelos bons preços alcançados pelas principais commodities produzidas e comercializadas no Paraná”, afirmou. Para este ano, a perspectiva para o Valor Bruto da Produção é de aumento porque a safra de grãos, em fase final de colheita, foi excepcional – devendo alcançar um volume de até 40 milhões de toneladas no Estado.

PUBLICIDADE
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização