Falso policial com camiseta da PF é preso com arma de brinquedo

Agronegócio

07 de setembro de 2017 10:38

Da Redação

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Alep lança frente em defesa do pacto federativo

Mega-Sena sorteia prêmio de R$ 33 milhões neste sábado

Frísia, Castrolanda e Capal lançam a Unium

'Unium’ é a nova marca da intercooperação da região
Conab estima queda de 6,2% na safra de grãos 2017/18
Iapar celebra aniversário com parcerias empresariais
Fim da vacinação contra Aftosa no PR impulsionará exportações
/
PUBLICIDADE

Agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) prenderam em flagrante na noite desta terça-feira (5) um homem de 37 anos de idade que se passava por policial federal em Pato Branco, na região sudoeste do Paraná.

A prisão ocorreu por volta de 21h30, no terminal rodoviário da cidade, nas imediações da BR-158. A PRF havia recebido denúncias de que um homem se passava por policial na região.

No momento da abordagem, o homem vestia uma camiseta com a inscrição “Polícia Federal” sob uma jaqueta. Ele também portava uma carteira com o Brasão da República e a inscrição “Ministério da Justiça”, além de uma identidade funcional falsa da área de comunicação da PF.

Questionado sobre a identidade policial, o detido alegou que seria “estagiário” da PF, o que não se confirmou.

Ele carregava uma mochila que continha uma outra camiseta da Polícia Federal, uma pistola de airsoft (arma de pressão com munições plásticas) sem ponta laranja, três cilindros de gás carbônico e uma caixa de lâminas de bisturis.

O homem teve sua conduta enquadrada, a princípio, nos crimes de usurpação de função pública, uso de documento falso, falsa identidade e contrabando.

Os agentes da PRF constataram ainda que havia pelo menos dois mandados de prisão contra ele, expedidos pelo Tribunal de Justiça de São Paulo.

A PRF encaminhou a ocorrência para a Delegacia da Polícia Civil em Pato Branco.

PUBLICIDADE
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização