Conab eleva projeção de crescimento da safra | A Rede - Aconteceu. Tá na aRede!
Conab eleva projeção de crescimento da safra

Agronegócio

11 de abril de 2017 18:00

Fernando Rogala

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Conab estima 44,77 milhões de sacas para safra do café

‘Digital Agro’ começa na quinta em Carambeí

PR lidera produção de proteína animal no País

PR deve alcançar 5,4 mi de hectares plantados com soja
Obama fará palestra em São Paulo no Fórum Cidadão Global
Abates de bovinos e frangos recuam no 2º trimestre
Ministro destaca importância da agropecuária na economia
/
PUBLICIDADE

A safra 2016/2017 de grãos deve chegar a 227,9 milhões de toneladas, com aumento de 22,1% ou 41,3 milhões de toneladas em relação aos 186,6 milhões da safra passada. A previsão foi divulgada hoje (11) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

De acordo com a Conab, a alta em relação à safra 2015/2016, deve-se ao aumento de área e às boas produtividades médias da safra atual, que não sofre influência das más condições climáticas do ano passado.

"É um dia histórico para a Conab e para a agricultura brasileira", disse o presidente da Conab, Marcelo Bezerra, ao destacar a previsão de aumento de 3% na área total em relação à safra anterior, podendo chegar a 60,1 milhões de hectares.

"São números muito bons, que ainda podem melhorar e têm uma importância muito grande agora", destacou o representante do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Sávio Pereira, ao citar as discussões em torno do Plano Safra e o apoio ao setor rural.

Para a soja, a expectativa é de crescimento de 15,4% na produção, devendo atingir 110,2 milhões de toneladas, com aumento de 14,7 milhões de toneladas em relação à safra anterior e ampliação de 1,4% na área, que deve chegar a 33,7 milhões de hectares.

No caso do milho, a produção deve alcançar 91,5 milhões de toneladas (37,5% de crescimento), com 29,9 milhões de toneladas para a primeira safra e 61,6 milhões para a segunda. A área total do milho deve alcançar 17,1 milhões de hectares (ampliação de 7,3%). Juntos, o milho e a soja representam quase 90% dos grãos produzidos no país.

O feijão primeira safra deve chegar a uma produção de 1,38 milhão de tonelada, resultado 33,4% superior ao estudo de 2015/2016. O feijão segunda safra deve produzir 1,22 milhão de toneladas, sendo 607,1 mil do grão em cores, 216,1 mil do preto e 393,6 mil do feijão caupi. A produção total pode chegar a 3,29 milhões de toneladas, com área total de 3,1 milhões de hectares.

Já o algodão pluma deve crescer 14,3% e chegar a 1,47 milhão de tonelada, mesmo com uma redução de 2,6% na área cultivada.

 

IBGE prevê safra 25% superior

A estimativa de março para a safra de grãos de 2017 é ainda maior que a de 2016, e a produção total deverá ter expansão de 25,1%. Em fevereiro, os cálculos apontavam para uma produção maior: 2,7% no volume da produção (a maior da história) e 0,6% na área a ser colhida.

Os dados fazem parte do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) de março, divulgado hoje (11) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) no Rio de Janeiro. A terceira estimativa para a safra nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas indica que a produção total este ano será de 230,3 milhões de toneladas, contra as 184 milhões de toneladas produzidas na safra de 2016.

Também houve crescimento de 6,3% na estimativa da área a ser colhida, que deve atingir 60,7 milhões de hectares, contra 57,1 milhões de hectares do ano passado.

O arroz, o milho e a soja continuam sendo os três principais produtos da safra, representando 93,5% do total da produção e 87,7% da área a ser colhida. Em relação ao ano anterior, houve acréscimo de 2,5% na área da soja, de 14,8% na área do milho e de 3,9% na área de arroz. Quanto à produção, houve acréscimos de 15,9% para a soja, 13,9% para o arroz e 45,8% para o milho.

Também nas estimativas de março, Mato Grosso continua como o maior produtor nacional de grãos, com participação de 25,3%, seguido pelo Paraná (18,3%) e Rio Grande do Sul (14,8%). Juntos, os três estados responderão por 58,4% do total nacional previsto.

Outros estados importantes na produção de grãos foram Goiás (9,9%), Mato Grosso do Sul (7,5%), Minas Gerais (5,9%), São Paulo (3,5%), Bahia (3,4%), Santa Catarina (2,9%) e Maranhão (2,1%), que integram também o grupo dos dez maiores produtores do país.

Outra constatação é que o Centro-Oeste continua como a maior região produtora do país, respondendo por 43% do total da produção nacional. Depois, aparecem as regiões Sul (36,1%), Sudeste (9,5%) e Nordeste (9,5).

PUBLICIDADE
COMENTÁRIOS
AVISO: O portal aRede não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site.
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização