BRDE financiou R$ 1,95 bi para produtores rurais em cinco anos | A Rede - Aconteceu. Tá na aRede!
BRDE financiou R$ 1,95 bi para produtores rurais em cinco anos

Agronegócio

05 de abril de 2017 16:16

Fernando Rogala

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Conab estima 44,77 milhões de sacas para safra do café

‘Digital Agro’ começa na quinta em Carambeí

PR lidera produção de proteína animal no País

PR deve alcançar 5,4 mi de hectares plantados com soja
Obama fará palestra em São Paulo no Fórum Cidadão Global
Abates de bovinos e frangos recuam no 2º trimestre
Ministro destaca importância da agropecuária na economia
/
PUBLICIDADE

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) financiou R$ 1,95 bilhão para produtores rurais no Estado entre 2011 e 2016 e vem ajudando uma nova geração de agricultores a dar continuidade à atividade no campo. São investimentos que dão apoio à produção, à recuperação de solos, à instalação de barracões, equipamentos e de infraestrutura para a produção de grãos, de aves e gado leiteiro, principalmente. Foram 12.649 contratos firmados no período. 
A agência do Paraná é a que mais repassou recursos entre as três operações do Sul do BRDE. No mesmo período, foram contratados R$ 787,4 milhões em Santa Catarina e R$ 1,01 bilhão no Rio Grande do Sul. 
Entre 2011 e 2016, o volume contratado no Paraná para os produtores rurais cresceu 87%, de R$ 191,6 milhões para R$ 357,7 milhões. “Nos últimos anos, o BRDE resolveu dar foco para o produtor rural. Sabe-se que o financiamento de longo prazo ajuda a fixar o agricultor na propriedade. Além disso, essa estratégia incentiva o produtor a ter uma cultura mais profissional e empresarial, a encarar a produção como um negócio, contribuindo para o crescimento do agronegócio”, diz Paulo Cesar Starke Júnior, superintendente da agência Paraná do BRDE.
Filho de produtores rurais em São João do Ivaí, José Afonso Couto é um exemplo da nova geração de produtores. Ele chegou a abandonar a atividade rural com a crise do algodão, em 1994. Depois de trabalhar na área de logística em uma fábrica de massas em Londrina e se formar em administração, ele resolveu voltar, 13 anos depois, para a terra natal e investir no campo. 
Com financiamento de cerca de R$ 700 mil do BRDE, investiu em dois aviários, em parceria com o irmão, Paulo Osdaqui Couto, e montou o primeiro plantel. 
O negócio deu tão certo que os dois irmãos fizeram mais um investimento, com financiamento de R$ 895 mil, em dois aviários em 2015 e hoje têm 134 mil aves. Integrados da Cocari, eles vendem suas aves para a unidade de frigorífico de Mandaguari, hoje da Aurora. 
“Nasci aqui e tinha vontade de voltar para o campo. O financiamento ajudou a concretizar esse sonho” diz ele, que já tem planos de instalar mais dois aviários. Dois deles hoje já são tocados pela filha e o marido. “É um trabalho puxado, mas é bom. É em família e está na porta da casa”, diz. 
Ellen Salomons Biersteker e o marido, Nico Biersteker, também fazem parte de uma nova geração de produtores rurais. Filhos de agricultores e pecuaristas, eles resolveram investir na produção de leite e criação de vacas da raça jersey em Arapoti.
Contrataram um financiamento do BRDE e montaram, há cerca de dois anos, a primeira leiteria. “Hoje temos 460 animais, das quais cerca de 130 em lactação. Sabemos que é um investimento de longo prazo e o trabalho não tem sábado, domingo ou feriado, muitas vezes temos que fazer parto das nossas vacas na madrugada, mas é o que amamos fazer”, diz.

Balanço

Somente no ano passado, o BRDE financiou R$ 357, 7 milhões aos produtores rurais no Estado, 11% mais do que no ano anterior. A previsão é contratar entre R$ 150 milhões e R$ 200 milhões no primeiro semestre, de acordo com Starke Júnior.

O agronegócio é uma das principais áreas de atuação do BRDE. Dos R$ 6,7 bilhões financiados pelo BRDE no Paraná entre 2011 e 2016, o setor respondeu por 60%. 

O Paraná representa 41,6% do total de aplicações do BRDE na Região Sul, o equivalente a uma carteira de R$ 5,66 bilhões. As operações contratadas nos últimos cinco anos no Estado contam, em média, com 10 anos de prazo total para pagamento.

PUBLICIDADE
COMENTÁRIOS
AVISO: O portal aRede não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site.
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização