Previs?o do tempo
   
Cooperativismo discute propostas para o Plano Agrícola e Pecuário

Agronegócio

17 de março de 2017 18:30

Fernando Rogala

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Agricultura prevê safra de 19 milhões de toneladas de soja

Pressão de baixa no mercado de milho

Brasileiro vence o 12º Prêmio New Holland de Fotojornalismo

Preços ficam estáveis para o leite em pó até agosto
Produtores de algodão discutem projeto de cooperação
Porto de Paranaguá tem novo sistema de agendamentos para descarga de caminhões
Copel alerta para cuidados com a rede elétrica na área rural
/
PUBLICIDADE

Apresentar as contribuições do movimento cooperativista ao Plano Agrícola e Pecuário (PAP) 2017/2018. Com este objetivo, o Sistema OCB realizou, na quarta-feira (15/03), uma reunião do Grupo Técnico do Crédito Rural que contou com a participação de representantes dos ministérios da Agricultura e Fazenda, Banco Central do Brasil e cooperativas.

O Sistema OCB, que sempre acompanha a elaboração desta e outras políticas públicas, apresentou as propostas de ajustes aos programas dirigidos às cooperativas agropecuárias nas finalidades custeio, comercialização e investimento.

As discussões giraram em torno de temas como os volumes de recursos a serem disponibilizados, as alterações nas taxas de juros e nos limites de diversas rubricas dos programas do BNDES e, também, relativos ao Manual de Crédito Rural (MCR), especificamente em seu capítulo 5 (Crédito a Cooperativas).

Os representantes do governo federal acolheram as propostas de ajustes e se comprometeram a analisá-las, com vistas à possibilidade de sua implementação no Plano Agrícola.

Para o presidente do Sistema OCB, o governo federal, ao recepcionar a contribuição das cooperativas agropecuárias, evidencia seu apreço por um setor tão relevante para a economia do país. “Para além da contribuição ao fortalecimento do agronegócio, as cooperativas, em função de seu modelo de negócio, prestam grande contribuição à promoção da justiça social, por meio da maior distribuição da renda, pela produção econômica coletiva e seu envolvimento com as comunidades onde atuam, geram poupança interna e fomentam as economias locais”, argumenta Márcio Freitas.

Participaram da reunião, Wilson Vaz, diretor da Secretaria de Política Agrícola do Mapa; Ivandré Montiel, Secretário Adjunto de Política Econômica da Fazenda; José Ângelo, chefe do Departamento de Regulação, Supervisão e Controle das Operações do Crédito Rural do Banco Central do Brasil; Integrantes das equipes técnicas desses órgãos e representantes das seguintes cooperativas e instituições: Aurora, Agrária, Coamo, Cooxupé, Comigo, Cooperalfa, Copérdia, Cocamar e Copacol, Fecoagro/RS, Ocesc, Ocepar.

PUBLICIDADE
COMENTÁRIOS
AVISO: O portal aRede não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site.
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização